terça-feira, 10 de maio de 2016

Geekburger Podcast - Topping #004 - Peter Tägtgren: o alien sueco


"Peter Tägtgren é um dos grandes gênios da música contemporânea". Talvez essa frase não faça o mínimo sentido pra você, mas quem curte som pesado, mais especificamente o metal extremo, certamente sabe quem é o cara e concorda com ela.
O Geekburger de hoje resolveu nerdear por terrenos não antes explorados e celebrar um dos temas que faz de mim quem eu sou: o metal. E em especial, o metal feito por Peter Tägtgren.

Seja como produtor musical, dono do estúdio The Abyss, frontman na banda de death metal Hypocrisy, multi-instrumentista idealizador na one-man-band PAIN e no projeto Lindemann, dentre inúmeras outras colaborações no mundo da música pesada, ou até mesmo como o dono de um vilarejo inteiro no seu país de origem, o sueco Peter Tägtgren é tão genial que parece ter cruza com alguma raça alienígena, assunto do qual ele usa e abusa com frequência em suas composições.

Então chamei meu grande amigo e parceiro musical, Rafael Mallmann, pra te ajudar a conhecer um pouco mais sobre a vida e o trabalho desse alienígena sueco incrível!

Tira teu burger da grelha e dá play neste que é o Geekburger mais musical de todos!

Duração: 1h44



(Clique com o botão direito e escolha "salvar destino como".)

Assine nosso FEED e nunca perca um Geekburger!

Curta nossa página no Facebook!

Gostou do programa? Críticas, elogios e hatemail >> geekburgershow@gmail.com

Siga a gente no TuneIn!


PLAYLIST pra amar o Hypocrisy
>>>Ouvir

 
Álbuns produzidos por Peter Tägtgren
Com links pra ouvir (quase) todos.

Amon Amarth - Sorrow Throughout The Nine Worlds (1995)
The Abyss - The Other Side (1995)
Naglfar - Vittra (1995)
Death Organ - 9 to 5 (1995)
Dark Funeral - The Secrets of the Black Arts (1996)
Fleshcrawl - Bloodsoul (1996)
Hypocrisy - Abducted (1996)
The Abyss - Summon the Beast (1996)
Setherial - Nord (1996)
Marduk - Heaven Shall Burn... When We Are Gathered (1996)
Marduk - Glorification (1996)
Pain - Pain (1997)
Dimmu Borgir - Enthrone Darkness Triumphant (1997)
Marduk - Live in Germania (1997)
Fleshcrawl - Bloodred Massacre (1997)
Hypocrisy - The Final Chapter (1997)
Abruptum - Vi Sonus Veris Nigrae Malitiaes (1997)
Therion - A'arab Zaraq - Lucid Dreaming (1997)
War - Total War (1997)
Dark Funeral - Vobiscum Satanas (1998)
Amon Amarth - Once Sent from the Golden Hall (1998)
Dimmu Borgir - Godless Savage Garden (1998)
Marduk - Nightwing (1998)
Dispatched - Promised Land (1998)
Love Like Blood - Snakekiller (1998)
Love Like Blood - The Love Like Blood E.P. (1998)
Enslaved - Blodhemn (1998)
Raise Hell - Holy Target (1998)
Thyrfing - Valdr Galga (1999)
Hypocrisy - Hypocrisy (1999)
Immortal - At the Heart of Winter (1999)
Dimmu Borgir - Spiritual Black Dimensions (1999)
War - We Are... Total War (1999)
Marduk - Panzer Division (1999)
PAIN - Rebirth (1999)
Amon Amarth - The Avenger (1999)
Borknagar - Quintessence (2000)
Children of Bodom - Follow the Reaper (2000)
Dark Funeral - Teach Children to Worship Satan (2000)
Destruction - All Hell Breaks Loose (2000)
Dispatched - Motherwar (2000)
Dark Funeral - In the Sign... (2000)
Old Man's Child - Revelation 666 - The Curse of Damnation (2000)
Hypocrisy - Into the Abyss (2000)
Immortal - Damned in Black (2000)
Rotting Christ - Khronos (2000)
Neglected Fields - Mephisto Lettonica (2000)
Enslaved - Mardraum - Beyond the Within (2000)
Gardenian - Sindustries (2000)
Susperia - Predominance (2001)
Marduk - La Grande Danse Macabre (2001)
Amon Amarth - The Crusher (2001)
Destruction - The Antichrist (2001)
Dark Funeral - Diabolis Interium (2001)
Immortal - Sons of Northern Darkness (2002)
Hypocrisy - Catch 22 (2002)
Susperia - Vindication (2002)
PAIN - Nothing Remains the Same (2002)
Shining - Angst, självdestruktivitetens emissarie (2002)
Marduk - World Funeral (2003)
Grimfist - Ghouls of Grandeur (2003)
Forgotten Tomb - Springtime Depression (2003)
Hypocrisy - The Arrival (2004)
Maryslim - Split Vision (2004)
Grave - Fiendish Regression (2004)
PAIN - Dancing with the Dead (2005)
Destruction - Inventor of Evil (2005)
Hypocrisy - Virus (2005)
Dimmu Borgir - Stormblåst MMV (2005)
Celtic Frost - Monotheist (2006)
Grave - As Rapture Comes (2006)
Noctiferia - Slovenska Morbida (2006)
PAIN - Psalms of Extinction (2007)
Maryslim - A Perfect Mess (2007)
Children of Bodom - Blooddrunk (2008)
Hypocrisy - Catch 22 V2.0.08 (2008)
PAIN - Cynic Paradise (2008)
Sanctification - Black Reign (2008)
Sabaton - The Art of War (2008)
Tarja - The Seer EP (2008)
Immortal - All Shall Fall (2009)
Hypocrisy - A Taste of Extreme Divinity (2009)
Dark Funeral - Angelus Exuro pro Eternus (2009)
Sabaton - Coat Of Arms (2010)
Overkill - Ironbound (2010)
Noctiferia - Death Culture (2010)
Immortal - The Seventh Date of Blashyrkh (2010)
Abigail Williams - In the Absence of Light (2011)
Belphegor - Blood Magick Necromance (2011)
Legion of the Damned - Descent into Chaos (2011)
Kampfar - Mare (2011)
The Unguided - Nightmareland (EP) (2011)
Loudblast - Frozen Moments Between Life And Death (2011)
Septicflesh - The Great Mass (2011)
PAIN - You Only Live Twice (2011)
Heidevolk - Batavi (2012)
Carnalation - Deathmask (2012)
Essence - Last Night Of Solace (2012)
Sabaton - Carolus Rex (2012)
Amorphis - Circle (2013)
Children Of Bodom - Halo of Blood (2013)
Hypocrisy - End of Disclosure (2013)
Sabaton - Heroes (2014)
Lindemann - Skills in Pills (2015)

O burger deste episódio:

Ingredientes:
- 100g carne bovina moída de sua preferência (eu usei patinho)
- Queijo mussarela
- 1 cebola
- 1 tomate
- 1 abacate pequeno estilo "avocado", bem maduro.
- Suco de 1 limão
- 1 potinho de iogurte natural
- 1 caixinha de creme de leite
- Cominho, pimenta chili em pó e coentro fresco para temperar
- Molho de pimenta da sua preferência (usei bhut  jolokia)
- Pão de hambúrguer

Preparo:
Pique a cebola em pedacinhos pequenos e misture metade dela e um pouco de pimenta chili em pó (a gosto) à carne. Molde com a carne bovina o formato de um burger que ultrapasse um pouco o limite do tamanho do pão de sua escolha (pois ele encolhe um pouco ao fritar). Reserve.
Para o guacamole: corte o abacate ao meio e retire seu conteúdo com uma colher, evitando que este se desmanche. (Obs: NÃO amasse! Sei que normalmente o guacamole é com abacate amassado, mas este não.) Pique o conteúdo do abacate em pequenos cubos. Faça o mesmo com o tomate e misture ele e a outra metade da cebola ao abacate em um recipiente. Tempere com sal, cominho e coentro a seu gosto e finalize com metade do suco do limão. Misture bem e reserve.
Para o sour cream: misture o creme de leite, o iogurte natural e a outra metade do suco de limão e deixe descansar na geladeira por 1 hora.
Leve o burger à grelha ou frigideira bem quente, Jogue uma pitada de sal a gosto sobre o lado que ainda não está fritando. Quando as bordas começarem a ficar douradas, vire. Coloque uma fatia generosa de queijo mussarela sobre o burger e tampe a panela (no caso de grelha, cubra o burger com um bowl de metal ou cerâmica). Quando o queijo estiver bem derretido, retire do fogo e reserve.
Corte o pão e passe um pouco de manteiga ou margarina nos lados internos e toste na mesma grelha quente. Isso vai evitar que os sucos da carne amoleçam o pão. Coloque o burger sobre a metade inferior do pão, ponha o guacamole, o sour cream, o molho de pimenta e, caso goste, passe maionese, ketchup ou mostarda na metade superior do pão e feche o sanduíche. 

Este burger veio acompanhado de batatas fritas caseiras da Pri!

Ingredientes:
- Batata rosa
- Óleo (de soja, milho, canola, arroz...)

Preparo:
Lave bem as batatas e corte-as em palitos (não precisa descascar, apenas retirar partes feias ou "olhos").
Coloque uma panela grande de água para ferver.
Coloque as batatas na água fervente e retire após quatro minutos.
Escorra as batatas e coloque-as em uma tigela com água gelada.
Escorra e coloque as batatas para secar espalhadas sobre algumas folhas de papel toalha.
Frite as batatas em óleo a 160º até criarem uma casquinha (mas sem dourar). Retire e espalhe as batatas sobre algumas folhas de papel toalha para absorver o excesso de gordura.
Agora essas batatas pré-fritas podem ser guardadas para depois ou até congeladas!
Para finalizar, frite as batatas em óleo a 180º até ficarem douradas. Espalhe sobre papel toalha de novo.

Agora é só dar play no podcast e comer um burger e fritas conosco!

2 comentários:

  1. Parabéns Tio KK!
    Ta ficando afude os episódios. Gostei afu do sobre do ep passado e desse. Só acho que tu tem que melhorar o mic. O teu áudio fica bom, mas os dos convidados não fica muito legal... Fica meio com cara de improvisado.

    Grande abraço daquii da terra dos cangurus!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha! Pode crer! Eu mando eles falarem alto no mic, mas né... :P

      Abraço, meu!!!

      Excluir